Mano Brown no Podpah: “A maconha me ajudou nos momentos de solidão e incertezas”

Maconha salva vidas!

O lendário rapper do Capão Redondo participou do podcast e falou sobre sua relação com a planta

Em sua participação no podcast Podpah, na última segunda-feira (7), o rapper Mano Brown falou sobre como a sua companheira descobriu que ele fumava maconha e a importância que a planta teve na sua vida, no momento que o Racionais MC’s resolveu dar uma pausa no auge da carreira no ano de 1999.

De acordo com Mano Brown, na época ele tinha 31 anos e saía de casa para fumar, mas a sua esposa e empresária do grupo, Eliane Dias, não sabia que ele fumava maconha, até que um dia ela o encontrou logo após ter fumado, pediu para ele chegar mais perto dela e perguntou “que cheiro é esse? Só faltava essa, não é possível, esperava tudo de você menos isso, 13 meses de condomínio atrasado e você está sentado no chão fumando maconha”. Ainda segundo Brown, ele não estava apenas bolando um baseado, mas também o futuro do Racionais MC’s. O cantor falou que a maconha fez companhia para ele nos momentos de solidão e incertezas.

Essa não foi a primeira vez que Mano Brown falou abertamente sobre uso de drogas. Em 2007, no programa Roda Viva, ao ser questionado sobre a influência do tráfico de drogas nas favelas, Mano Brown disse que não enxergava o traficante como um criminoso, mas sim como um comerciante de drogas bem como os empresários que produzem e comercializam bebida alcoólica.

Em 2004, Mano Brown chegou a ser preso por desobediência e resistência à prisão, segundo os policiais militares por ter se negado a parar o carro em que estava em “atitude suspeita”. Durante a revista, os PMs encontraram uma ponta de cigarro de maconha que continha 0,1 grama no bolso do casaco do cantor.

Numa entrevista concedida à Revista Trip em 2016, Mano Brown disse que acreditava que iria viver para ver a legalização da maconha no Brasil. Nesse mesmo ano, Mano Brown fez uma postagem no Instagram como se fosse enrolar um cigarro de maconha com o Título de Eleitor, após o impeachment da ex-presidenta Dilma, com a legenda: “não tá valendo nada memo!”.

Henrique Oliveira é historiador e militante antirracista contra a proibição das drogas.

Fonte: https://www.smokebuddies.com.br/mano-brown-a-maconha-me-ajudou-nos-momentos-de-solidao/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s