Convite à Arte

por Lilian Oliveira

CONVITE À ARTE é uma proposta de suspensão da vida cotidiana para que possamos olhar para questões que nos afetam, por meio da linguagem poética. Seja ela: artes visuais, fotografia, escultura, literatura, cinema, artes cênicas, música ou outras produções no campo das artes e sua interface política.  

Para tanto, nessa primeira suspensão, tento traduzir, brevemente, o que venha a ser o audiovisual expandido “Salvíficos #1 – ensaio mnemônico (2022)” e já faço o convite para que você apareça na abertura dessa instalação interativa que acontecerá dia 08 de outubro às 14h, no SESC RJ Duque de Caxias.

A instalação interativa “Salvíficos #1” usasoftware de “reconhecimento facial”, e parte da investigação da origem genética dos afrodescendentes brasileiros, permitindo, também, a participam de usuários com fenótipos variados. Com a parametrização, a obra discute o memoricídio e identidades, problematizando a ideia de representação e padronagem. 

O artista multimídia, Eduardo Salvino, nos adianta que: “a instalação tem como base “O Arcade Game” e terá trilha sonora para cada “reino africano” e para cada programação interativa.

Já em sua estética, haverá padrões remetendo ao “Afrofuturismo”. 

“Salvíficos #1” traz reflexões sobre a diáspora africana e de como são adensadas ao se apropriar de outro referencial imagético, idealizado pelos artistas da “Missão artística francesa no Brasil”, de 1816. Eles registraram o cotidiano no Brasil, na época da colonização, e esse registro compunha um mostruário de características fisionômicas dos escravizados. Essas definições fenotípicas, modelos (ver: fotos de rostos contemporâneos de negros originários das regiões africanas citadas), são templates, como padrões indexados e hospedados na plataforma, sugerindo acordos e desacordos com as características dos rostos dos interatores e os seus possíveis graus de descendência”.

Importante lembrar que a arte não se explica. A arte é uma obra aberta, que toca em cada um de uma maneira diferente ou apenas incomoda, e, ainda, pode até não nos dizer nada.

No entanto, Salvíficos, a meu ver, diz muito sobre o sistema penal brasileiro: seja na fase investigativa que muito deve ao Estado de Direito por ter raízes inquisitórias, seja no curso da ação penal que, mesmo nessa fase (oportunizando o direito constitucional ao contraditório e a ampla defesa), também, falha, no momento da dosimetria da pena, quanto aos critérios das circunstâncias do crime (positivados no art. 59 do Código Penal) para que seja realizado o cálculo da fixação da pena. E vou além, na fase de execução penal, é manifesta a presença das questões apontadas pela obra “Salvíficos #1”, basta olhamos para os presídios e penitenciárias do Brasil: o que vemos é um “bloco”, um colorismo. O que dou nome de colometria.

Afinal, há uma métrica no direito punitivista que vela aquilo (direitos fundamentais, isonomia, estado de direito) que aprendemos na academia. Há um gradiente de tons: pretos, marrons, moreninhos, escurinhos – é esse o template dos presídios abarrotados de uma massa escura, suja, faminta e que faz girar a commodity jurídica e o direito penal vergonhoso (lembrando o brilhante jurista Zaffaroni, em Bem-vindos ao Lawfare! Manual de passos básicos para demolir o direito penal).

Assim, preterimos os direitos humanos e as garantias constitucionais, na cara dura mesmo. Diante de toda a comunidade internacional que ampara os direitos humanos e o Estado de Direito. Há décadas!

Então, esse foi o modo como “Salvíficos #1” bateu em mim.

Vai lá e comente como “Salvíficos #1” bateu em você.

Divirta-se!

O ARTISTA

Eduardo Salvino é de Belo Horizonte/MG e mora em São Paulo, Brasil.

Artista Multimídia e professor, sua pesquisa lida com audiência e contexto local. O artista, por meio de agenciamentos e propostas colaborativas, intenciona uma escuta em relação, trabalhando com: a instalação, o som e o vídeo. Salvino é doutorando em Poéticas Visuais (2019-2022), USP/SP; mestre em Comunicação e Semiótica (2011), PUC/SP e graduado em Artes (2003) pela Escola Guignard, UEMG/ MG.

SERVIÇO

Abertura: dia 08 de outubro às 14h

Visitação: de 08 de outubro a 10 de dezembro de 2022

Local:  SESC RIO Duque de Caxias

Duque de Caxias – Rio de Janeiro

Classificação Etária: Livre

Para conhecer melhor a obra de Eduardo Salvino, acesse: eduardosalvino.net ou entre em contato pelo e-mail: eduardosalvino@gmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s